Área do Cliente

Insira seu usuário e senha para acesso ao escritório virtual

Notícias

Newsletter

Previsão do tempo

Hoje - São Paulo, SP

Máx
26ºC
Min
16ºC
Parcialmente Nublado

Segunda-feira - São Paulo, SP

Máx
25ºC
Min
18ºC
Parcialmente Nublado

Hoje - Nova Lima, MG

Máx
27ºC
Min
15ºC
Parcialmente Nublado

Segunda-feira - Nova Lima, MG

Máx
29ºC
Min
16ºC
Parcialmente Nublado

Hoje - Belo Horizonte, MG

Máx
25ºC
Min
14ºC
Parcialmente Nublado

Segunda-feira - Belo Horizonte...

Máx
28ºC
Min
15ºC
Parcialmente Nublado

27/06/2020 - 09h00Justiça determina devolução de veículo a famíliaAgricultor teve o bem apreendido para pagar dívida, porém ferramenta de trabalho foi considerada impenhorável

Penhora de veículo em que família de agricultores transportava plantios para venda foi considerada injusta pelo TJMG Uma família de ruralistas teve o veículo devolvido na região do Triângulo Mineiro. O bem havia sido tomado para pagamento de uma dívida com a Cristalina Agronegócios e Representações de Produtos Agrícolas. Na Comarca de Araguari, o pedido da família foi negado, porém em segunda instância a 14ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) deu provimento ao recurso interposto pela família. De acordo a sociedade empresária, a família entregou três cheques, com valores somados de aproximadamente R$ 13 mil, que tiveram a compensação foi frustrada. Na busca de bens de propriedade da família para satisfazer o crédito que tinham, foi utilizado o sistema Renajud, sendo encontrado e penhorado o veículo em questão. A família, por outro lado, alega que o carro penhorado é uma caminhonete utilizada para o transporte da produção de horticultura até o Ceasa da cidade vizinha (Uberlândia). Argumentou que a caminhonete é imprescindível para o sustento.  Decisão Para o relator, desembargador Valdez Leite Machado, está evidente nas provas que a família é produtora rural e necessita do veículo penhorado para levar a produção da plantação até seus clientes, localizados em lugares distantes da fazenda. O magistrado aponta que de acordo o art. 833, V, do Código de Processo Civil/15 os bens móveis necessários ou úteis ao exercício de qualquer profissão são absolutamente impenhoráveis. Desta forma, o veículo em discussão não pode ser confundido como apenas um facilitador da profissão, sendo na realidade uma ferramenta necessária ao desempenho das atividades da família, merecendo a proteção conferida pela Lei. Acompanharam o entendimento do voto as desembargadoras Evangelina Castilho Duarte e Cláudia Maia. Confira a movimentação processual e leia na íntegra o acórdão.
27/06/2020 (00:00)
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.